Logo da Pinacoteca

Apoie

Logo da Pinacoteca

Transições

15 dez 2012
10 mar 2013
O Memorial da Resistência de São Paulo, instituição da Secretaria de Estado da Cultura, apresenta a exposição Transições. Das ditaduras às democracias na América Latina, uma mostra com cerca de 50 fotografias produzidas pelas instituições latino-americanas pertencentes à Coalizão Internacional de Sítios de Consciência: imagens emblemáticas de nosso passado recente. Transições é resultado de um trabalho coletivo realizado pelas instituições de dez países integrantes da Rede Latino-Americana da Coalizão Internacional de Sítios de Consciência, uma rede mundial que atua por meio de redes regionais, e da qual o Memorial da Resistência é membro desde 2009.
As instituições de cada país selecionaram imagens que considerassem mais representativas ou emblemáticas das transições dos governos autoritários ou ditatoriais para a democracia, de conflitos armados internos a processos democráticos e de momentos considerados marcantes, de rupturas e/ou de decisiva inflexão na história social e política das últimas décadas. As fotografias possuem identidade própria, mas os painéis fotográficos que mostram os principais acontecimentos de cada um dos dez países que compõem a exposição estabelecem uma sequência que pode evidenciar um importante vínculo entre si.  

A ideia de organizar a mostra teve dois objetivos principais: em primeiro lugar, buscar a possibilidade de criar uma exposição itinerante que, por meio de mecanismos muito simples, pudesse ser impressa e exibida pelos membros da Rede e em outras instituições. O segundo objetivo foi provocar um debate sobre as formas pelas quais representamos –– as transições ou rupturas que marcaram etapas na história recente que se pretende contar.

Participaram da atividade as seguintes instituições: da Argentina, o Archivo de la Memoria de la Provincia de Córdoba, Casa por la Memoria y la Cultura Popular, Centro Cultural por la Memoria de Trelew, Museo de la Memoria (Rosario), Dirección de Derechos Humanos de Morón, Memoria Abierta; do Brasil, o Memorial da Resistência de São Paulo e o Núcleo de Preservação da Memória Política; do Chile, a Agrupación de Familiares de Paine, Museo de la Memoria y los Derechos Humanos, Corporación Parque por la Paz Villa Grimaldi, Estadio Nacional; de El Salvador, o Museo de la Palabra y la Imagen; da Guatemala, o Archivo Histórico de la Policía Nacional e o Centro de Investigaciones Regionales de Mesoamérica; do México, o Centro de Derechos Humanos Fray Bartolomé de las Casas e a Organización Sociedad Civil Las Abejas; do Paraguai, o Museo de las Memorias: Dictadura y Derechos Humanos e a Dirección de Verdad, Justicia y Reparación; do Peru, a Asociación Paz y Esperanza, Movimiento Ciudadano Para que no se Repita e a Asociación Caminos de la Memoria; Da República Dominicana, o Museo Memorial de la Resistencia Dominicana; e do Uruguai, o Centro Cultural y Museo de la Memoria (Uruguai).