Logo da Pinacoteca

Apoie

Ingressos

Logo da Pinacoteca

Local/global, uma vista sobre arte brasileira na década de 1990

Nos dias 28, 29, 30 de setembro e 01 de outubro de 2021, das 19h às 21h, com Moacir dos Anjos

O curso propõe apresentar e discutir, em 4 aulas, algumas das principais características da arte contemporânea brasileira que emerge e se estabelece na década de 1990 e início da seguinte. Período marcado pela consolidação de mudanças econômicas, tecnológicas e políticas sumarizadas no termo globalização, e que impactam nas formas de expressar a ideia de pertencimento ao lugar onde se vive.

Após uma primeira aula em que as questões histórias, teóricas e políticas pertinentes ao tema serão expostas, as três seguintes serão dedicadas, cada uma, a obra de um(a) artista brasileiro(a) que, a partir das questões que animam suas produções, respondem às contradições e paradoxos próprios desse contexto de grandes transformações: Marepe, Rosângela Rennó e Jac Leirner. Respostas que não são ilustrações dessas mudanças, mas criações de equivalências sensíveis singulares dessa situação.

PROGRAMA DE AULAS

Aula 1 – Contraditório – 28/09/2021
A aula tratará dos significados possíveis de uma arte brasileira na contemporaneidade. Sustentará que o que individualiza a arte brasileira não é o conteúdo de um repertório estanque de narrativas e gestos, mas as maneiras pelas quais esse conteúdo é afetado por repertórios de outros lugares e, sem diluir-se neles, também os afeta. Uma arte fincada em um território físico e simbólico e simultaneamente internacional.

Aula 2 – Marepe (1970, Bahia) – 29/09/2021
A aula apresentará aspectos centrais da obra do artista visual baiano Marcos Reis Peixoto, o Marepe, mostrando como ela se institui como proteção simbólica do local frente ao poder homogeneizador da cultura global sem estabelecer, entretanto, oposições rígidas entre formações culturais diferentes.

Aula 3 – Rosângela Rennó (1962, Minas Gerais) – 30/09/2021
A aula apresentará aspectos centrais da obra da mineira Rosângela Rennó, mostrando como ela investiga os significados da fotografia na organização da vida em comum em contextos diversos – quer no campo do conflito, quer no do afeto.

Aula 4 – Jac Leirner (1961, São Paulo) – 01/10/2021
A aula apresentará aspectos centrais da obra da artista paulista Jac Leirner a partir do conceito de paradoxo, buscando entendê-la como espaço de propagação de ideias e de percepções que não convergem para um acordo sobre o que significam

TOTAL DE VAGAS
180 vagas

VALOR
R$80,00 (inteira)
R$72,00 (amigos e patronos da Pina)
R$40,00 (meia-entrada para professores, estudantes e pessoas acima de 60 anos).

50 vagas para professores de escolas públicas e educadores sociais, por ordem de inscrição e através do formulário online disponível aqui. A gratuidade será concedida conforme a ordem de chegada dos pedidos feitos através do formulário “Solicitação de bolsas para professores e educadores sociais”.

Faça sua inscrição aqui

SERVIÇO

O curso será realizado em formato online via ZOOM. O link de acesso a sala online e demais informações para início do curso serão enviadas com e-mail de confirmação de inscrição.

O aluno deverá usar o mesmo e-mail cadastrado no ato da compra para acessar a sala online, do contrário não será possível realizar o cadastro e acesso à plataforma ZOOM e os recursos disponíveis para transmissão da aula. Eventuais troca de e-mail feitas após a compra deve ser comunicada a organização do curso até 2 dias antes do início do curso.

O curso é online, fornecido no formato síncrono, ou seja, ao vivo. As aulas serão gravadas e disponibilizadas para os alunos regularmente inscritos após a realização curso. A equipe Pina_Cursos compartilhará o link de acesso dos vídeos por e-mail e prazo de acesso.

A inscrição é pessoal e intransferível. Em caso de inscrição-presente, no momento da matrícula o pagante deve incluir os dados do(da) convidado(a) e informar a organização do curso sobre tal inscrição-presente, de modo a evitar possíveis equívocos de cadastro ou de compartilhamento dos conteúdos de estudo.

A utilização de meia entrada é concedida a: estudantes, professores, pessoas com 60 anos ou mais e funcionários de instituições culturais (limite de até 5 funcionários de uma mesma instituição).

Materiais complementares como, bibliografia do curso, PDFs, links de vídeos indicados pelo professor, serão compartilhados através de uma pasta virtual, gerenciada pelo professor e a coordenação do curso. O material ficará acessível por tempo limitado.

Pedidos de cancelamento ou transferência serão aceitos até a véspera de abertura do curso.

Pedidos de cancelamento ou transferência, enviados após início do curso, não serão considerados, visto a necessidade de organização das atividades.

A declaração de frequência será emitida após o término do curso. Os participantes que obtiverem 75% de presença durante o curso, ou seja, logados no momento da transmissão do curso. O acesso aos vídeos das aulas do curso não será considerado na contagem de frequência.

O curso poderá oferecer interprete/tradução em Libras e audiodescrição. Esses recursos de acessibilidade poderão ser solicitados por e-mail até 5 dias antes do início do curso.

Mais informações no site da Pinacoteca ou pelo e-mail cursos@pinacoteca.org.br

SOBRE O PROFESSOR

Moacir dos Anjos (Recife, 1963) é pesquisador da Fundação Joaquim Nabuco, no Recife, onde coordena o projeto de exposições Política da Arte. Foi diretor do Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (2001-2006), Recife, e pesquisador visitante no centro de pesquisa Transnational Art, Identity and Nation, University of the Arts London (2008-2009). Foi curador do pavilhão brasileiro (Artur Barrio) na 54ª Bienal de Veneza (2011) e curador da 29ª Bienal de São Paulo (2010). Foi curador das mostras Cães sem Plumas (2014), no MAMAM, A Queda do Céu (2015), no Paço das Artes, São Paulo, Emergência (2017), no Galpão Bela Maré, Rio de Janeiro, Quem não luta tá morto. Arte democracia utopia (2018), no Museu de Arte do Rio, Raça, classe e distribuição de corpos (2018), Minas (2019) e Educação pela pedra (2019), as três últimas na Fundação Joaquim Nabuco. É autor dos livros Local/Global. Arte em Trânsito (2005), ArteBra Crítica (2010) e Contraditório. Arte, Globalização e Pertencimento (2017), além de editor de Pertença, Caderno_SESC_Videobrasil 8, São Paulo (2012). Publica ensaios regularmente em coluna da Revista ZUM online (https://revistazum.com.br).