Tipo: Exposições | Local: Edifício Pina Luz

Data Início Exposições 08 de outubro de 2022 - Data Término Exposições 09 de abril de 2023

Exposições: Lenora de Barros: Minha Língua

Com curadoria de Pollyana Quintella, a exposição tem um recorte conceitual que foca nas obras que discutem as relações entre corpo e linguagem, num arco que agrega desde trabalhos do início de sua trajetória até um comissionamento produzido especialmente para a ocasião, incluindo ainda produções icônicas como “Poema” (1979) e a série “Procuro-me” (2003). 

Reunindo cerca de 40 obras da artista visual paulistana, que usa a fotografia, o vídeo, a instalação e a performance como suporte, a mostra reúne peças como “Homenagem a George Segal” (1975-2014) — obra emblemática da sua produção, fruto de um trabalho escolar que criticava a sociedade de consumo tomando como inspiração as expressões das obras do escultor homônimo. 

É apresentado também um trabalho inédito comissionado especialmente para a mostra intitulado “A cara. A língua. O ventre” (2022), um vídeo composto de três atos em que Lenora explora diferentes situações com argila em diálogo com seu próprio corpo. 

A ORGANIZAÇÃO  

A exposição foi organizada em estreito diálogo com a mostra Pinacoteca: acervo —nova montagem do acervo do museu, inaugurado em outubro de 2020, levando em conta que em 2022, o país celebra o centenário da Semana de Arte Moderna e o bicentenário de sua Independência.  

Um dos destaques é a obra Poema (1979), que faz parte do acervo do museu, doação dos Patronos da Arte Contemporânea da Pinacoteca de São Paulo 2018. Espécie de síntese de inúmeras questões que a artista investiga, a obra é constituída de uma série fotográfica em seis atos que documentam um encontro íntimo e conflituoso entre corpo e máquina. 

Sobre Lenora de Barros  

Lenora de Barros (1953, São Paulo, onde vive e trabalha) tem como suporte a fotografia, vídeo, instalação e performance. Realizou exposições individuais e coletivas em instituições conceituadas como o Centro Universitário Maria Antonia (São Paulo), o Paço Imperial (Rio de Janeiro), o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, a Casa Daros (Rio de Janeiro), o Centro Cultural Banco do Nordeste (Fortaleza), a Fundação Proa (Buenos Aires), a Trienal Poli/Gráfica de San Juan de 2012, a Bienal de Lyon de 2011, as 29ª, 24ª e 17ª Bienais de São Paulo, a 7ª e 5ª Bienais do Mercosul (Porto Alegre), o Museu da Cidade de Lisboa. Suas obras fazem parte das coleções do Museu d’Art Contemporani de Barcelona, da Daros. 

Latinoamerica, do Museu de Arte Moderna de São Paulo e do Centro Cultural São Paulo. Formada em linguística pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH/USP) na década de 1970, Lenora inicialmente explorou a palavra em forma de texto. Trabalhou em importantes veículos de comunicação, como o Jornal da Tarde, em que, entre 1993 e 1996, escrevia semanalmente uma coluna experimental. 

Ingresso 

Inteira: R$20,00
Meia: R$10,00

Mais Informações  

A exposição “Lenora de Barros: Minha Língua” tem patrocínio do Bradesco. 

A exposição está acompanhada de um catálogo bilingue, vídeo com participação da curadora e artista e tour virtual. 

Serviço 

Local: Pina Luz
Data: 27 ago 2022 — 30 jan 2023
Endereço: Praça da Luz, 2, Bom Retiro, São Paulo — SP

Assine nossa Newsletter

e acompanhe nossa programação


    Clicando em "Aceito todos os Cookies" ou continuar a navegar no site, você concorda com o
    armazenamento de cookies no seu dispositivo para melhorar a experiência e navegação no site.
    Consulte a Política de Privacidade para obter mais informações.

    Aceitar todos os Cookies